Centro Pedagógico e Interpretativo

 

 

 

Mais informações: www.quintadaspalmeiras.pt/cpi

Cursos Profissionais

Facebook Feed

GIAE Online

Palmeiras Impress Digital

Notícias da Escola Quinta das Palmeiras

Visita de estudo a Espanha, França e Suíça

Alunos dos cursos científico-humanísticos de Ciências e Tecnologias e de Línguas e Humanidades de 11º e 12º ano da Escola Quinta das Palmeiras participaram numa visita de estudo a Espanha, França e Suíça, entre os dias 27 de junho e 6 de julho.

Os locais visitados nesta aventura de 4300 km foram os seguintes:

  • - Genebra (lago Genebra, Palácio da Nações e zona envolvente onde se encontra a sede da Cruz Vermelha Internacional e o Alto Comissariado da ONU para os refugiados)
  • - Genebra, CERN (três instalações e as exposições Microcosmos e Globo)
  • - Berna (casa Einstein, Museu de Berna, centro histórico)
  • - Poitiers, Futuroscope (parque temático)
  • - Oradour-sur-Glane (aldeia história preservada como museu após massacre na II Guerra Mundial)
  • - Toulouse, Cité de l’Espace (parque temático)
  • - Toulouse (centro histórico)
  • - Toulouse, Airbus (museu aeronáutico e Airbus A380 tour)
  • - Museu de História Natural de Toulouse
  • - Museu Guggenheim de Bilbau
  • - Bilbau (envolvente ao museu Guggenheim)

O primeiro local visitado foi o Palácio das Nações, a sede da ONU em Genebra. Através de uma visita guiada foi possível percorrer os corredores do edifício que albergou a Sociedade das Nações e respirar a história que emana das suas paredes, bem como assistir ao vivo a reuniões em que se discutem questões prementes do mundo atual.

A envolvente ao Palácio das Nações também captou a atenção dos alunos, nomeadamente o monumento Cadeira Quebrada e as sedes de diferentes organizações, e.g., Cruz Vermelha Internacional e Alto Comissariado da ONU para os refugiados.

A visita ao CERN poderia à partida ser considerada o prato principal da visita, o que se veio a verificar. A possibilidade de almoçar lado a lado com os cientistas que trabalham diariamente no CERN, desfrutar da esplanada, respirar ciência, pisar o chão pisado por diversos prémios Nobel, tudo isto com vista para o Monte Branco e o Monte Jura, é per se justificativo suficiente para este ponto do roteiro. No entanto, as duas exposições, Microcosmos e The Globe, e as visitas guiadas ao Centro de Controlo do CERN, a AMS e ao SM18, tornaram este dia inesquecível para os nossos alunos.

O centro histórico da cidade de Berna, capital da Suíça, é património da Humanidade da UNESCO, e graças aos seus 6 km de arcadas, a cidade ostenta os mais longos passeios de compras cobertos da Europa e que nós percorremos parcialmente.

Albert Einstein viveu em Berna entre os anos de 1903 e1905. O apartamento onde morava na rua Kramgasse, 49 (no centro da cidade) foi preservado e hoje exibe as mobílias, decoração e toda a história da vida de Einstein e da sua família em Berna. No início da rua podemos contemplar a magnífica torre do relógio (Zytglogge), na qual Einstein se poderá ter inspirado nos seus pensamentos sobre o tempo.

  

A ida a Poitiers justificou-se pelo dia passado no parque temático Futuroscope, que terá sido o lado mais lúdico de toda a visita e os alunos aproveitaram-no ao máximo saltando de simulador em simulador e passando pelas extraordinárias projeções 3-D e 4-D. A noite brindou-nos com um extraordinário espetáculo de luz e som.

  

As ruínas de Oradour-sur-Glane, aldeia mártir da segunda guerra mundial, são um testemunho do dia 10 de junho de 1944. Nesta data a aldeia foi dizimada e 642 civis foram mortos pelo exército alemão. Hoje estas ruínas são um alerta para os horrores da guerra, para o irracionalismo dos homens em momentos de confronto e para a importância da resolução pacífica de conflitos e a conjugação de esforços entre as nações para a construção de um futuro onde estes massacres não tenham lugar. O tempo passado na aldeia foi um intenso momento de introspeção, de silêncio e de muita emoção vivido por todos.

  

Em Toulouse visitámos o parque temático dedicado ao Espaço, Cité de l’Espace, com as suas réplicas em tamanho real de naves espaciais (Ariane 5, Soyuz) e da estação espacial MIR, variadas exposições (incluindo um verdadeiro pedaço da Lua), um IMAX extraordinário com imagens absolutamente fascinantes da Terra vista do espaço e ainda foi possível observar através de telescópios o disco solar com as suas manchas e protuberâncias.

  

Na Airbus visitámos o museu Aeroscopia e a sua coleção de aeronaves que nos guiaram pela história da aviação, com um destaque especial para o Concorde. A linha de montagem do A380 deixou todos deslumbrados com a sua grandeza e complexidade. Tivemos a oportunidade de fazer um pequeno tour pelo parque de aviões dando especial atenção ao primeiro A350 que irá de sair de Toulouse, onde são montados integralmente, e que já se encontrava pintado com as cores da TAP.

A última paragem desta maratona. Bilbau e o icónico museu Guggenheim, cujo edifício, só por si, justifica a visita. Mas não nos ficámos apenas por fora. Visitámos a exposição permanente, ’’The Matter of Time’’, constituída por uma série de esculturas em aço desenhadas por Richard Serra. No segundo piso, a exposição da artista norte-americana Jenny Holzer captou o interesse dos alunos com os seus trabalhos de pintura, impressões, esculturas e LED’s. No terceiro piso a nossa atenção foi captada em particular pelas obras de Gerhard Richter, Anselm Kiefer e Giorgio Morandi, mas um Andy Warhol ou um El Greco mereceram sempre um olhar especial apesar da distância temporal que os separa.

  

Jesuíno Simões

 


 

Notícias de Educação

10 dezembro 2019

Notícias mais recentes
  • PISA | Retenções, faltas às aulas, frequência no pré-escolar. Três pontos a aprofundar
    Investigação conclui que há fatores críticos que impedem que o sistema escolar seja mais democrático e, consequentemente, que os alunos obtenham melhores resultados. “Políticas educativas e desempenho de Portugal no PISA (2000-2015)” analisa 15 programas, entrevista professores, diretores e inspetores, para compreender o que mudou na Educação e que explique os resultados alcançados no programa internacional de avaliação.
  • O que melhorou e piorou com a Educação Inclusiva
    Diretores e professores têm visões distintas sobre o novo modelo de Educação Inclusiva. Mais de 60% dos primeiros referem que as respostas aos alunos com necessidades educativas especiais melhoraram. A maioria dos segundos têm uma opinião contrária. Federação Nacional dos Professores (FENPROF) fez um inquérito e divulgou resultados.
  • PISA | Algumas oscilações nos resultados, acima da média da OCDE
    Alunos portugueses mantêm resultado a Matemática, descem ligeiramente a Leitura, e baixam nove pontos em Ciências. Avaliação internacional mostra que o efeito do estatuto socioeconómico e cultural no desempenho escolar é significativo em Portugal. As expetativas são maiores em contextos mais favorecidos. Mais de metade não escuta o que os professores dizem, 50% chegaram tarde à escola nas duas semanas antes do PISA, e o gosto por ler diminuiu.
  • Educação 2018 | Mudar o paradigma, questionar, ousar fazer diferente
    Conselho Nacional de Educação traça o retrato do setor e dá nota de um corpo docente altamente qualificado, mas em que apenas 0,02% dos professores estão no topo da carreira com uma média 61,4 anos de idade e 39 de serviço. A despesa do Estado nesta área, uma das mais estruturantes para o desenvolvimento do país, desceu 8% na última década.

Registo

Receber Newsletter

Email *

Primeiro nome

Último nome
 

 

Copyright (c) Quinta das Palmeiras 2019. Reservados todos os direitos.