A guerra…

“A guerra é uma invenção da mente humana. E a mente humana também serve para inventar a paz” Winston Churchill

Verdade. A história está repleta de guerras. Guerras inventadas pela mente do Homem. Cheias de ódio, de sofrimento. Felizmente muitos homens querem viver em paz e usufruir de tudo o que de bom a vida pode proporcionar. A paz é a condição nobre do Homem. A paz sobrepõe-se sempre a uma guerra perdida. A paz é sempre uma vitória. Uma vitória dos homens. Uma vitória da coragem, da não-violência! Infelizmente o mundo sempre foi palco de guerras, como as grandes guerras mundiais e tantas outras igualmente mortíferas, destruidoras, mas felizmente também foi palco de paz conquistada pelos homens bons. A guerra não faz sentido. A destruição do ser humano é uma cobardia dos que se julgam fortes. Uma guerra destrói sempre, mesmo aquilo que pretende defender! A história ensina-nos que o caminho de uma guerra é sempre uma derrota; uma derrota dos homens, uma derrota da dignidade da vida! A ambição desmesurada de muitos destrói a essência que faz de nós Homens, destrói a paixão pelas qualidades dos homens, úteis à construção de uma paz consolidada! Uma guerra é sempre fruto do egoísmo de alguns que, na busca incessante de riquezas, de notoriedade e de poder, conduzem os destinos de povos inteiros no sentido do sofrimento e da morte. Como referiu Paul Valéry “A guerra é sempre um massacre entre gente que não se conhece, para proveito de pessoas que se conhecem, mas não se massacram” O Diretor, João Paulo Ramos Duarte Mineiro