Centro Pedagógico e Interpretativo

 

 

 

Mais informações: www.quintadaspalmeiras.pt/cpi

Cursos Profissionais

Facebook Feed

Palmeiras Impress Digital

Património – Diferentes olhares...

No dia 14 de novembro, os alunos do 7º B e do 7º D da Escola Secundária Quinta das Palmeiras participaram num projeto interdisciplinar, com alunos de 7º ano do Agrupamento de Escolas de Nisa, intitulado “Património – diferentes olhares sobre o mesmo espaço – Urban Sketchers Kids”. Este projeto integra-se nas comemorações do Ano Europeu do Património Cultural que se levam a cabo neste ano de 2018, por proposta do Parlamento Europeu. A atividade consistiu na observação de património arquitetónico do concelho de Nisa, por parte dos alunos, que registaram o que captaram, através do seu olhar e sensibilidade, pretendendo-se assim alertá-los para a importância desse património e sua preservação. Neste projeto colaboraram as disciplinas de História e Educação Visual. Este dia tão intenso culminou em Amieira do Tejo, com um lanche/convívio oferecido pela União de Freguesias de Nisa. Os trabalhos realizados pelos alunos serão apresentados no concelho de Nisa, com explicação pormenorizada de todo o processo, e será posteriormente apresentado na Escola Secundária Quinta da Palmeira – Covilhã!


 

Corta Mato Escolar 2018


 

Reportagem QTV - Palmeiras no WebSummit 2018

 

Ficha Técnica: Captação de Imagem e Edição: Duarte Arribas - Locução: Soraia Valente - Supervisão: Prof. Paulo Morais


 

APEE - Assembleia Geral Extraordinária - Convocatória


 

1º Centenário do Armistício da 1ª Grande Guerra

Durante a semana que agora decorre, assinala-se na Escola Quinta das Palmeiras o 1º Centenário do armistício da 1ª grande Guerra. A iniciativa consiste na visita à exposição sobre a 1ª Guerra, patente no CPI, que pretende recriar alguns dos ambientes vividos neste conflito (como as trincheiras, um gabinete de guerra e um hospital de campanha), enriquecidos por diversas apresentações multimédia alusivas ao tema. Os alunos de 9º ano assistirão a uma aula, no ambiente da exposição, lembrando-se desta maneira, o significado deste grande conflito, as suas repercussões para a Europa e para a humanidade e acima de tudo os perigos que as sociedades correm quando se permitem intolerâncias, prepotências, incompreensões e divisões. Pretende-se também refletir acerca da inutilidade da(s) guerra(s) e de todo sofrimento por ela provocado, uma vez que a violência apenas gera violência e nunca é uma solução e, por fim, tentar compreender porque é que "sendo a guerra uma loucura, a humanidade ainda não aprendeu a lição!". Ainda no âmbito destas comemorações, no dia 13 de novembro, pelas 15:00, decorrerá uma comunicação no auditório do CPI, proferido pelo dr. José Luís Santos, intitulada "O armistício que não o foi".

 


 

Notícias de Educação

22 julho 2019

Notícias mais recentes
  • A tecnologia ao serviço do conhecimento
    O Colégio Monte Flor, em Carnaxide, é uma referência internacional na utilização dos recursos tecnológicos na aprendizagem das crianças. O diretor pedagógico da escola refere que o grande desafio não é ter alunos excecionais na utilização da tecnologia, mas sim alunos criativos e colaborativos, com espírito crítico, capazes de resolverem problemas reais.
  • FENPROF contesta “sobretrabalho” e palavras cruzadas
    Federação Nacional dos Professores mantém greve ao trabalho extraordinário depois de reunir com a tutela, pede que se acabem com abusos e ilegalidades nesta matéria, e exige um pedido de desculpas ao semanário Expresso por transmitir a ideia de que os docentes “estão sempre em greve, ficando as sobras para ensinar”. A greve também é uma lição de cidadania, sublinha a organização sindical.
  • Concurso de acesso ao Ensino Superior arranca hoje com total de vagas quase igual
    A primeira fase de candidatura ao ensino superior começa hoje e termina no início de agosto, com 50 860 vagas no concurso nacional de acesso, um total praticamente inalterado face a 2018. Nas universidades de Lisboa e do Porto, 11 cursos muito procurados pelos melhores alunos abrem mais 107 vagas.
  • “No 1.º Ciclo, seria importante abrir uma exceção e permitir que os alunos ficassem com os manuais”
    A reutilização dos livros do 1.º Ciclo é uma tarefa complexa. A devolução é obrigatória e, por isso, é necessário apagar o que foi feito ao longo do ano letivo. Diretores escolares aplaudem o empréstimo, admitem que há constrangimentos, e defendem  que as escolas deveriam ter autonomia nesta questão.

Registo

Receber Newsletter

Email *

Primeiro nome

Último nome
 

 

Copyright (c) Quinta das Palmeiras 2014. Reservados todos os direitos.